Sin categoría

A ESCOLA DE VIOLEIROS NA FEIRA DE JACA
A ESCOLA DE VIOLEIROS NA FEIRA DE JACA 1024 768 delyramus

A Escola de Violeiros de Saragoça tem participado como expositor na Feira de Luthiers de Jaca, no âmbito do Festival Folclórico dos Pirenéus, evento promovido e coordenado por Luis Salesa. Esta atividade teve como objetivo dar a conhecer a evolução dos instrumentos musicais e das iniciativas e pessoas que trabalham no restauro de instrumentos e recuperação da arte. Outros luthiers aragoneses também participaram, assim como alguns do País Basco, Catalunha e Castela-la-Mancha.

Em representação da Escola de Violeiros compareceram duas de suas alunas, Rebeca Martínez e Belén Gonzalvo. Alguns instrumentos concluídos foram exibidos, como violas de arco, violas de mão, harpas e alaúdes, bem como instrumentos em processo de construção. Realizaram-se também workshops onde foram apresentados alguns dos processos construtivos, convidando os visitantes a manusearem algumas das ferramentas da profissão, como goivas, escovas, serras e facas.

A iniciativa faz parte do Festival dos Pirenéus e contribui para a divulgação da importância cultural de uma arte ainda muito desconhecida da sociedade e pouco contemplada na cadeia produtiva musical. O público apreciou a oportunidade de conhecer um universo onde madeiras, resinas, vernizes, essências, dão origem a criações que nos ajudam a aproximar-nos da beleza global, demonstrando que os materiais naturais, juntamente com processos ancestrais e fórmulas de oficinas são actuais e projectam-se no futuro como uma alternativa.

A Escola da Violeiros é entidade parceira do projeto Erasmus+ “Delyramus”, e continuará a participar neste e noutros projetos de divulgação como um dos pilares do seu compromisso com a função social da cultura.

  

Sistema Lupo “aprender fazendo”
Sistema Lupo “aprender fazendo” 1024 768 delyramus

O Grupo de Pesquisa de Alto Desempenho CINTER da Universidade Rei Juan Carlos  (URJC) desenvolveu no último ano vários projetos educativos cujos objetivos são divulgar o património da Comunidade de Madrid e dos Sítios Reais através do legado histórico-artístico. Estas atividades foram financiadas, entre outras, pela UCC + i da URJC, no âmbito dos apoios à promoção da cultura científica, tecnológica e inovação da Fundação Espanhola para a Ciência e Tecnologia (FECYT). Além disso, a Fundação Yehudi Menuhin Espanha e o Sistema Lupo têm colaborado nestas atividades.

 

Sistema Lupo é um jogo de construção com blocos de vários tamanhos da autoria do arquitecto Fermín Blanco e cuja filosofia assenta no “aprender fazendo”. Graças a este sistema, foi possível recriar edifícios históricos como La Casita del Príncipe del Pardo, uma menina da pintura de Velázquez ou instrumentos musicais de época como um quarteto de cordas. Estas oficinas e sessões têm trabalhado em várias áreas, da teoria à prática, sempre tendo em consideração a inclusão e o acesso ao património dos grupos mais pequenos e vulneráveis. Muitas dessas atividades têm sido realizadas, de fato, com pessoas com deficiência intelectual e física no Centro Educacional e Ocupacional Virgen de Lourdes da Fundação Promiva.

 

Prevê-se que a partir de setembro de 2021 seja possível retomar estes projetos em escolas da Comunidade de Madrid.

 

JUNTOS SOMOS MAIS: DIAS DE INCLUSÃO NA UNIVERSIDADE REY JUAN CARLOS
JUNTOS SOMOS MAIS: DIAS DE INCLUSÃO NA UNIVERSIDADE REY JUAN CARLOS 1024 576 delyramus

O grupo de pesquisa DIVERSIA, que colabora da Universidade Rey Juan Carlos no projeto Delyramus II, organiza ao longo do mês de maio a III Conferência #JuntosSomosMas: Inclusión, cultura y Lado Oscuro. Nestes dias, que consistem em seminários online, os participantes abordam a inclusão de pessoas com deficiência a partir de uma perspetiva diferente, apoiada na banda desenhada e na ficção científica. Tomando como referência os Dias Internacionais de Guerra nas Estrelas, os Museus e o Dia do Orgulho Geek, é abordado um tema muito variado.
O tema do seminário do dia 18 de maio, realizado no contexto do Dia Internacional dos Museus, foi a acessibilidade aos museus e outros locais de interesse, como sítios arqueológicos, para pessoas com deficiência. Como afirma José Luis López Bastías, na sua contribuição sobre o Método Instrumental de Recolha de Informação sobre Acessibilidade em Museus, “o acesso à cultura é um direito universal fundamental”. Entre as outras questões levantadas estava o papel dos guias de sinais para a comunidade surda. No dia 25, com o qual será encerrada a conferência, ela será organizada em torno do Dia do Orgulho Geek, que analisa, entre outras coisas, o papel dos surdos nos quadrinhos da Marvel. Você pode encontrar mais informações no link https://eventos.urjc.es/64791/detail/iii-jornadas-juntossomosmas_-inclusion-cultura-y-lado-oscuro.html

Delyramus en Huesca
Delyramus en Huesca 1024 768 delyramus

No dia 6 de abril foi inaugurada a exposição Delyramus no Espaço Cultural da Fundación Cai de Huesca, fruto dos workshops de aguarela, acrílico e colagem realizados durante os anos de 2018 e 2019 em Zaragoza e Guarda do projeto.

O Conselheiro para a Cultura da Câmara Municipal de Huesca, Ramón Lasaosa, bem como o Delegado Territorial da Fundación Rey Ardid em Huesca, Julián Loriz, bem como o Assessor Técnico de Saúde Mental,  Ramón Nadal, o Diretora e Chefe da ali se aproximou o projeto Marigel Pinilla e o encarregada das oficinas de arte Noemí López.

El Diario del Alto Aragón também fez eco da notícia do dia da abertura e do dia seguinte na primeira página e na página interna inteira.

 

A exposição ficará até 29 de abril nesta sala localizada no Coso Alto, 11 1º andar de Huesca.

Fim audiovisual do Projeto Delyramus
Fim audiovisual do Projeto Delyramus 1024 768 delyramus

O audiovisual que se segue narra os dois anos do projecto, onde é apresentado o trabalho das 5 entidades dos 3 países participantes.

Dada a situação na última seção do projeto causada pela Covid-19, os eventos em Nápoles e Zaragoza tiveram que ser reestruturados, reduzindo a capacidade e mudando as atividades.

Durante 2021, terão continuidade as atividades de divulgação do patrimônio da música antiga e da violeiros, bem como as ações em prol da inclusão de pessoas com deficiência.

Celebração do último evento Delyramus em Zaragoza
Celebração do último evento Delyramus em Zaragoza 1024 768 delyramus

No dia 16 de novembro, coincidindo com o 250º aniversário do nascimento de Beethoven, e apesar da capacidade limitada devido ao covid-19 na cidade, o último evento Delyramus foi realizado em Zaragoza, graças à transferência do Espaço Cultural IberCaja Actur  e o Museo Zaragoza .
Para a abertura do evento estiveram presentes a vice-prefeita Sara Fernández e a chefe de cultura da Prefeitura de Elena de Marta.
Javier Martínez e Marigel Pinilla mostraram os produtos fabricados na última fase do projeto e Aragónuniversidad fez eco da notícia.
Posteriormente, 2 concertos foram realizados no Museu de Zaragoza em frente às pinturas:

Santa Cecilia de Jusepe Martinez

Adoración de los Reyes Magos de Rolán de Moys

Estas peças foram executadas pelo trio formado por Pilar Almalé, Luis Miguel Bajén e Carlos Gonzalvo e pela dupla dos irmãos Miguel e Carlos Bonal.

Toda a sessão foi captada pelo artista audiovisual Yago de Mateo, que está fazendo o audiovisual de todo o projeto.

O evento foi transmitido ao vivo no Instagram para membros de fora da cidade de Zaragoza que não puderam comparecer devido à limitação de movimento, bem como para o restante do público que, devido à limitação de capacidade, não pôde comparecer pessoalmente.

Evento Final em Zaragoza
Evento Final em Zaragoza 724 1024 delyramus

No dia 16 de dezembro, o evento Final do projeto será realizado em vários locais em Zaragoza.

Centro Cultural Ibercaja Actur (C / Antón garcía abril, 1)

9h Autoridades de recepção e parceiros do projeto

9h15 Apresentação do projeto

9h30 Javier Martínez (Escuela de Violería) apresentação dos instrumentos realizados e publicações.

10h Marigel Pinilla (Fundación Rey Ardid) apresentação Animação delyramus e conto infantil “Fátima”

10h30 Concerto de música antiga de 7 intérpretes de diferentes partes da geografia espanhola.

11h30 Colaborações futuras e conclusões finais.

Museu de Zaragoza (Plaza de los Sitio, 6)

12h30-13; 30h Concerto de 7 intérpretes da música antiga em frente ao quadro María Reina de los Cielos em Blasco de Grañén.

Espaço Visões

Exposição final dos trabalhos produzidos nas oficinas do Projeto.

* Devido às restrições produzidas pela COVID-19 em relação à lotação das salas, o evento será transmitido ao vivo no Instagram.

A história do Violaira Delyramus
A história do Violaira Delyramus 766 574 delyramus

Nessa animação podemos entender um pouco da história e evolução do estupro de uma forma divertida e para todos os públicos.

Delyramus no centro de exposições Joaquín Roncal
Delyramus no centro de exposições Joaquín Roncal 724 1024 delyramus

De 1 de outubro ao próximo dia 15, os trabalhos das oficinas produto do projeto europeu Delyramus estarão expostos no centro de exposições Joaquín Roncal, localizado na Calle San Braulio, 5 em Zaragoza.

 

Acessibilidade do Método MIRIAM aos Museus URJC
Acessibilidade do Método MIRIAM aos Museus URJC 925 649 delyramus

A acessibilidade e o design universais para todas as pessoas constituem um dos principais meios para favorecer a participação ativa e a igualdade de oportunidades de toda a diversidade de cidadãos. Para isso, centra a sua atividade na procura de soluções de design para que todos possam utilizar os espaços, produtos e serviços do seu ambiente, participando na construção da sociedade. Portanto, não há dúvida de que o foco na acessibilidade universal é uma abordagem eficaz para reverter a exclusão e a discriminação (direta e indireta) e aumentar a igualdade de oportunidades de forma sustentável e positiva.

Dentro das atividades do projeto Delyramus criamos este MÉTODO INSTRUMENTAL PARA COLETA DE INFORMAÇÕES SOBRE ACESSIBILIDADE EM MUSEUS: MIRIAM. Uma ferramenta metodológica que permite recolher informação essencial à compreensão.

Consulte aqui omanual accesibilidade_