O projeto

Antecedentes e descrição do projeto

O projeto Delyramus é o resultado de dois anos de trabalho promovidos pela Fundação Ramón Rey Ardid em colaboração com a Escola de Violeros de Zaragoza. Ambas as entidades encontraram sinergias para projetar ações conjuntas em torno da música antiga e as tradições dos violeros que surgiram no coração da cidade de Zaragoza no século XIV, mas que logo se espalharam pelo resto da Espanha e da Europa. Nesses dois anos, ambas as entidades trabalharam na disseminação da música antiga através da recuperação do patrimônio e das técnicas tradicionais de construção de violas, com a participação ativa de pessoas com deficiência associada a uma doença mental.

O resultado dessas ações foi a concepção e construção de um novo instrumento musical chamado Ratatranta, cujo objetivo é que ele possa ser usado por qualquer pessoa e possibilite sentir a música através de diferentes sentidos e que integre um conjunto de ações subseqüentes em que o instrumento ela ganha vida e se torna o eixo de uma série de atividades participativas e oficinas sensoriais realizadas pelos próprios participantes.

Esta experiência teve um grande impacto na mídia nacional e internacional.

Durante este período, outras entidades europeias dispostas a trabalhar para os mesmos objetivos se uniram: ADM Estrela de Guarda (Portugal), que traz sua experiência em ações inovadoras para a integração social de pessoas com deficiência; a Associação Centro Storico de Nápoles (Itália) que oferece sua experiência na dinamização de atividades culturais em espaços comunitários e a Universidade Rey Juan Carlos de Madri, que colabora como uma entidade de ensino superior para dar ao projeto uma abordagem científica e metodológica.

O projeto é promovido e coordenado a partir de Zaragoza (Espanha), uma vez que foi a residência dos violeiros (luthiers) da época e onde eles desenvolveram algumas tipologias instrumentais pertencentes ao património europeu que foram extintas e se pretende recuperar.

Objetivos

  • Conecte a música antiga e o trabalho dos violeros (luthiers) com grupos com deficiências.
  • Design de novas formas de desenvolvimento de audiência.
  • Ajude os artistas europeus / profissionais da cultura e suas obras a alcançar o maior número de pessoas possível em toda a Europa.
  • Recuperação e promoção de um património europeu.

Actividades

Durante o período de projeto de 2 anos (setembro de 2018 a julho de 2020) as seguintes atividades serão realizadas:

  1. Recuperação de 14 instrumentos para tocar música antiga.
  2. Estudo sobre o património organológico europeu dos séculos XIV, XV, XVI e XVII.
  3. Estudar a melhoria da inclusão social e cultural de pessoas com deficiência por meio de novas metodologias, como música, arte e outras atividades culturais.
  4. 12 palestras em escolas primárias e secundárias.
  5. 2 seminários metodológicos dentro do Mestrado em Formação de Professores da Universidade do RJC (Madrid) e do Mestrado em Ensino Avançado de Habilidades da Universidade RJC (Madrid).
  6. Tutorial 3 teses de mestrado e 3 teses de graduação relacionadas a DELYRAMUS.
  7. Relatório de análise sobre o nível de acessibilidade de 30 museus e propostas de melhoria.
  8. Concepção de 4 tipos de oficinas de criação artística para pessoas com deficiência relacionadas com a promoção da música antiga e violadores (pintura e fotografia, contação de histórias, instrumentos multisensoriais, performances).
  9. Co-produção de uma exposição itinerante por toda a Europa.
  10. Organização de 3 eventos culturais europeus: na Guarda (Portugal), Zaragoza (Espanha) e Napoli (Itália).
  11. Produção de um vídeo documentário de 25 ‘sobre a co-produção da exposição itinerante e os 3 eventos culturais europeus.
  12. Produção de um video-story sobre a vida dos violeros (luthiers), narrado por pessoas com deficiência, com imagens das pinturas criadas pelos participantes nas oficinas de criação artística.